A longo prazo, meta de inflação no Brasil será de 3%

O presidente do Banco Central (BC), Ilan Goldfajn, afirmou que, no longo prazo, a meta de inflação será mais parecida com a registrada em outros países emergentes, ao redor de 3%.

Porém, ele ressaltou que nada vai ser feito de forma apressada. “No longo prazo, tomando decisões a cada junho, vamos levar a inflação para uma meta parecida com outros países emergentes que têm meta de 3%. Por enquanto, focamos na nossa meta, que é de 4,5%”, disse Ilan em evento do Credit Suisse.

Segundo ele, a decisão sobre a meta de inflação para 2019 será tomada na reunião de jun...

Os 50 carros mais vendidos no Brasil em 2016

Chevrolet Onix é líder pela segunda vez consecutiva e tem desempenho superior ao do ano passado mesmo com queda nas vendas de automóveis

Mesmo com a crise que viu a venda de carros novos (automóveis e comerciais leves) no país cair 19,80% – de 2.476.823 para 1.986.389 – em relação a 2015, o líder de emplacamentos pelo segundo ano consecutivo tem muito o que comemorar.

Enquanto no ano passado o Chevrolet Onix acumulou 125.931 unidades, em 2016 esse número subiu para 153.372. O carro sofreu um facelift e ganhou novas versões em agosto, e abriu vantagem folgada para o ...

Venda de automóveis avança 12,02% em novembro

No mês passado, foram vendidos 261.448 veículos, entre automóveis, comerciais leves, caminhões e ônibus. Motos registraram aumento de 13,27%

A venda de automóveis voltou a crescer em novembro. Dados da Federação Nacional da Distribuição de Veículos Automotores (Fenabrave), divulgados na quinta-feira (1º), mostram que houve um aumento de 12,02% na comparação com outubro.

Apenas no mês passado, foram vendidos 261.448 veículos. Desse total, 178.141 eram automóveis, comerciais leves, caminhões e ônibus. As motos, que somaram 73.343 novos emplacamentos, registraram ...

Setor automotivo terá crescimento em 2017

O presidente da Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores, Antonio Megale, afirmou que o mercado brasileiro de veículos deverá ter crescimento próximo de dois dígitos no próximo ano.

Depois de quatro anos seguidos em queda, o executivo disse que a velocidade da retomada será “diretamente afetada” pela rapidez na aprovação de medidas de ajuste fiscal. “A taxa de juros começa a cair, o risco país começa a cair, a confiança do investidor volta, o emprego volta, o otimismo volta e o país volta a crescer”, disse, durante videoconferência em evento q...